Conheça os Perigos de Dar Dipirona para Cachorro sem Recomendação Veterinária!

Pensando em dar dipirona para cachorro?

Está cada vez mais comum encontrar perguntas pela internet sobre a ação de medicamentos.

Perguntas sobre “posso tomar isso ou aquilo”, por exemplo, estão por toda parte.

Mas, cuidado! Em se tratando de medicamentos, isso é um perigo! ⚠️

A automedicação, administração de medicamentos “por conta própria”, é uma prática constante entre seres humanos.

Seja para evitar a consulta médica por falta de tempo e acesso restrito, ou pela facilidade de compra, essa prática tem se tornado uma preocupação constante também na medicina veterinária.

Isso porque a automedicação tem sido estendida também aos animais.

Para piorar ainda mais o quadro, os remédios administrados não são específicos à eles.

Utilizar medicamentos sem prescrição médica pode acarretar consequências muito graves para a saúde do animal.

Principalmente medicamentos humanos em animais.

A utilização de Dipirona para cachorros, por exemplo, é muito comum para aliviar dores e inflamações.

No entanto, apesar de ser uma droga de ação anti inflamatória considerada fraca e sem contraindicações, quando administrada na dosagem incorreta, pode trazer sérios danos ao cachorro.

O Amor aos Pets tem um compromisso enorme em publicar conteúdos informativos que beneficiem o tutor e o seu pet.

Portanto, jamais indicaremos algum medicamento ou produto que não tenha respaldo técnico ou que não tenha sido avaliado por um especialista.

Assim, visando informar nossos leitores e evitar estes acidentes, vamos explicar nesse artigo o que é Dipirona, quando deve ser utilizada, qual o perigo e seus efeitos colaterais.

A fim de esclarecer de uma vez por todas se podemos ou não dar esse remédio para nossos animais.

A Verdade sobre a Dipirona para Cães

O metamizol, mais popularmente conhecido por Dipirona (Novalgina®) é um medicamento indicado em casos febre, dor abdominal leve à moderada e doenças reumáticas.

É um remédio de ação analgésica, anti inflamatória, antipirética e espasmolítica considerado fraco, sem maiores contraindicações.

Na América do Sul e na Europa a Dipirona continua sendo muito utilizada.

Mas países como a Suécia, Japão, Estados Unidos e Reino Unido já aboliram o uso desse medicamento.

É um medicamento muito popular entre os seres humanos pela facilidade de compra e acesso.

Quase todo mundo tem a medicação em casa.

Por esta razão, muita gente acaba dando a Dipirona para seus cachorros também.

Neste caso, pelo fato do remédio não ser um medicamento específico para cães, todo cuidado é pouco.

pode dar dipirona para cachorro

Afinal, Pode dar Dipirona para Cachorro? é Seguro?

Em geral, a Dipirona é administrada em casos de dor leve à moderada, principalmente quando associada a espasmos da musculatura lisa (estômago e bexiga), tecidos moles ou cólicas do trato urinário.

Apenas em casos mais graves, a dipirona pode ser administrada juntamente com analgésicos opióides.

No entanto, a Dipirona NUNCA deve ser administrada sem prescrição médica veterinária.

Isso porque existe uma dosagem correta, de acordo com o peso do animal, entre outros fatores que devem ser observados com muita atenção.

Como por exemplo, a metabolização do medicamento.

Quando damos Dipirona para cachorro, a sua metabolização é hepática e a sua excreção é renal, através dos rins e da bexiga.

No caso de cães idosos ou de sistema imunológico debilitado, a Dipirona para cachorro só é permitida em casos especiais e por um curto período.

Somente sob prescrição médica.

A dor é considerada um sinal vital entre os seres humanos, mas não há como mensurar dor em cachorros, por motivos óbvios.

Além disso, eles costumam ter resistência à dores muito diferentes de nós.

Mesmo assim, a dor não deixa de ser desagradável e, independente do estímulo, é sempre prejudicial, pois pode provocar complicações respiratórias, cardiovasculares e digestivas.

Por isso, deve ser tratada.

No entanto, o tutor deve ficar atento também ao surgimento ou agravamento de sintomas associados aos órgãos hepáticos (rins, bexiga).

Pois, a Dipirona para cachorro pode até aliviar a dor, mas pode também comprometer outros órgãos e gerar complicações mais sérias.

Dipirona para cachorro NÃO é mais opção

Atualmente, inúmeros anti-inflamatórios e antipiréticos mais seguros e eficazes foram desenvolvidos para o tratamento da dor em cachorro.

Por isso a Dipirona para cachorro tem ficado de fora das opções de muitos médicos veterinários.

Vale lembrar que é extremamente importante cumprir todas as recomendações do veterinário quanto a dosagem de remédios a fim de evitar intoxicação ou overdose no animal.

A atenção ao peso, histórico médico e causa da dor são fundamentais. Nem sempre medicar com Dipirona é a única solução.

Às vezes, tratar a causa da dor é mais eficaz que mascará-la com a medicação.

Atenção, Dipirona para Cães pode fazer Mal!

Ainda não existem estudos científicos suficientes que comprovem a eficácia do uso da Dipirona para cachorros.

Até onde se sabe, a Dipirona é capaz de aliviar a dor de cachorro e gatos.

No entanto, a sua utilização merece extrema precaução para evitar intoxicações e overdoses, por superdosagens.

Por isso, é extremamente importante seguir a orientação médica, principalmente quanto à dosagem e horários.

A facilidade de compra e acesso à dipirona acaba levando os tutores à medicação por conta própria, sem antes consultar um médico veterinário.

Mas isso é extremamente perigoso, pois o cachorro pode ser facilmente medicado com doses inadequadas, colocando em risco a vida do animal.

Assim, mesmo que o cachorro de um conhecido tenha um problema parecido e tenha sido medicado com dipirona em determinada dose, cada animal tem um organismo diferente.

Mesmo que algumas características, como peso, raça, idade, porte, sejam iguais.

Portanto, NUNCA siga recomendações que não foram dadas ao seu cachorro. Pois, cada avaliação deve ser individualmente analisada pelo médico veterinário.

Assim, mesmo que o animal não apresente melhora ou pareça estar sofrendo com dores, a melhor opção é fazer uma visita ao veterinário para que ele indique o remédio e o tratamento mais adequado.

Efeitos Colaterais da Dipirona para Cachorros

O maior cuidado com relação à Dipirona para os cães é a dosagem correta.

O perigo está na intoxicação à curto e médio prazo que pode levar a vômitos, diarréia e úlceras gástricas e do duodeno, alergias e gastrites.

A anemia hemolítica (destruição das hemácias pelo sistema imune) também pode estar presente, desenvolvendo sintomas como salivação excessiva, vômitos e febre.

Isso é muito perigoso! ⚠️

O animal fica completamente vulnerável a outras doenças, devido ao seu sistema imunológico enfraquecido.

A superdosagem ou uso prolongado de Dipirona ainda pode causar intoxicações graves e consequências maiores, como:

  • Vômito sanguinolento;
  • Diarréias constantes;
  • Hipotensão (pressão baixa);
  • Leucopenia (diminuição do número de leucócitos, células brancas de defesa do sangue);
  • Problemas renais, por afetar diretamente os rins;
  • Convulsões e alterações neurológicas (casos mais graves).

Na presença de sintomas mais graves como o sangue no vômito, diarréias frequentes e convulsões, leve o animal imediatamente ao veterinário.

Essa é o tipo de situação considerada emergência veterinária.

Esses efeitos colaterais podem afetar todas as raças de cachorros, mas são mais comuns em cachorros de pequeno porte como Maltês e Yorkshire.

Além de cachorros das raças Collie, Pastor de Shetland, Border Collie, Sheepdog, Bearded Collie, Pastor Australiano, entre outros.

Novamente, apenas os médicos veterinários estão habilitados a observar essas condições e receitar uma medicação adequada.

Assim como a dosagem correta do medicamento, a fim de evitar os efeitos colaterais graves.

O uso do Remédio na Dosagem Certa

Já dissemos aqui que a intenção é evitar a intoxicação por superdosagem.

Com o medicamento sendo prescrito ao seu cachorro pelo seu veterinário, ele dará todas as orientações e recomendações necessárias de como administrar o medicamento.

Caso o seu cachorro precise tomar o medicamento, o veterinário fará os exames clínicos e laboratoriais necessários para determinar a dosagem mais adequada. De acordo com as condições físicas que ele estiver apresentando.

Assim, em caso de dúvidas sobre dosagem e como administrar a Dipirona para cachorro, consulte o seu veterinário de confiança.

⚠️ Automedicação: Não cometa esse erro! ⚠️

Sabemos o quanto é difícil dar remédio para cachorros.

Muitos deles estranham o gosto, rejeitam mesmo quando mascarados no alimento ou diluídos em água e outros até fogem para se esconder.

Além disso, já dissemos o quanto é perigoso administrar medicamentos sem consultar o veterinário.

Portanto, somente o veterinário poderá ajudá-lo nessa missão e indicar a melhor forma de administrar o remédio ao cachorro.

Por isso, não indicaremos aqui dosagens ou nenhuma forma de como dar remédio à cachorro.

Pelo contrário, à seguir, mencionaremos uma lista de outros medicamentos que merecem cuidados, caso você tenha esse hábito de automedicar o seu animal sem consulta veterinária.

Quem sabe assim, depois de melhor informado, você acabe de vez com esse péssimo hábito.

Outros medicamentos que merecem cuidados

Além da Dipirona, muitos outros remédios já foram incluídos no péssimo hábito da automedicação.

No entanto, remédios que fazem bem aos seres humanos, podem não ser  tão benéficos e inofensivos aos animais.

Alguns podem ser até fatais. ☠️

Convenhamos, remédios são opções de tratamentos para quase todas as doenças que existem.

Mas nem por isso, isso significa que são benéficos e inofensivos à saúde.

Tem muito remédio que trata uma certa doença, mas que se não for administrado com os devidos cuidados, acaba causando outra.

Além disso, ninguém gosta de tomar remédio…

Muito menos o seu cachorro! 🐶

dipirona para cachorro faz mal

Portanto, assim como a Dipirona muitos outros medicamentos de fácil acesso podem causar intoxicação nos animais facilmente (se forem administrados sem prescrição médica).

Por isso, NUNCA, em nenhuma hipótese, dê remédios ao seu cachorro sem a prescrição do médico veterinário.

Além disso, sempre que um animal ingerir algum medicamento de forma inadequada, devido à administração sem prescrição ou ingestão acidental, leve-o imediatamente ao veterinário para ser examinado e receber o tratamento necessário.

Qualquer medicação, mesmo sendo de uso veterinário, e prescrita pelo mesmo, se utilizada na dosagem errada e frequência inadequada pode causar intoxicação.

Ainda, existem medicamentos terminantemente proibidos, e outros de uso restrito, que precisam de cuidados especiais ao serem administrados.

Veja abaixo alguns medicamentos potencialmente tóxicos para os cachorros para evitar acidentes e não cometer erros ao medicá-los:

Medicamentos proibidos para cachorros:

  • Diclofenaco de potássio ou sódico (Cataflan®, Voltaren®);
  • Maioria dos anti-inflamatórios de uso humano;
  • Piridium®.

Medicamentos para cachorros de uso restrito (sob recomendações especiais):

  • Ivermectina (Ivomec®, Ivermec®, Vermectil®, Mectimax®): Collie, Border Collie, Pastor Australiano, Bearded Collie, Pastor de Shetland, Sheepdog e seus cruzamentos são intolerantes à Ivermectina, causa intoxicação grave;
  • Sulfa Trimetropim (Bactrim®);
  • Sulfassalazina (Azulfin®);
  • Aspirina®.
Atenção, Tutor!

Por mais bem escrita e detalhada que a matéria venha a ser, ela não substitui uma consulta ao seu veterinário de confiança.

E pior ainda, não tem INTENÇÃO ALGUMA de substituir uma consulta médica ou de indicar quais os melhores produtos para você comprar.

Correções e revisões feitas pela médica veterinária Adriana Rodrigues Fadul, CRMV/SP: 21.048

Conheça os Perigos de Dar Dipirona para Cachorro sem Recomendação Veterinária!
5 (100%) 2 votes