Doença do Carrapato: Tem Cura? Quais os Sintomas? Quais os Tratamentos?

Vamos falar sobre a doença do carrapato.

Você estava fazendo carinho no seu pet e encontrou um carrapato?

Hora de ligar o sinal de alerta!

É possível que esse pequeno intruso encontrado tenha infectado seu cão com a famosa doença do carrapato.

Essa doença costuma ser mais comum no verão, pois os carrapatos precisam de calor e umidade para reprodução. Mas pode ocorrer em qualquer época do ano.

Vamos explicar direitinho o que é e como ocorre essa doença para que você possa ajudar seu amigão da melhor maneira possível.

O que é a doença do carrapato?

Na realidade, quando falamos de doença do carrapato, nos referimos a 2 doenças que este parasita pode transmitir ao cão: a babesiose e a erliquiose.

A transmissão de ambas ocorre quando o carrapato Ripicephalus Sanguineus, conhecido como carrapato marrom, pica o animal, e dependendo do estado geral do pet, as complicações podem ser muito sérias.

Mas vamos te orientar para que você saiba o que é são as doenças, e o quanto é importante sua atenção ao seu pet, assim como atenção a prevenção.

Vamos lá!

Babesiose

A babesiose é causada por um protozoário chamado babesia canis sp.

Este protozoário invade os glóbulos vermelhos (responsáveis por carregar o oxigênio para todo o organismo) e os destroem.

Isso acontece nos primeiros dias, e o animal neste estágio pode ser assintomático, ou seja, não demonstrar sinais clínicos ou demonstrar sinais muito leves como uma falta de apetite e um cansaço após a caminhada.

Porém, a doença pode avançar para uma segunda fase, e os sintomas serão mais severos.

O animal, ainda que seja curado, pode continuar como portador, o que pode fazer com que a doença se manifeste novamente ao longo da vida.

doença do carrapato

Erliquiose

A erliquiose é mais comumente causada por uma bactéria chamada ehrlichia canis, que vai se alojar e se multiplicar através dos glóbulos brancos (as células de defesa do corpo). Mas podem também acometer os glóbulos vermelhos.

A doença tem um período de incubação de 7 a 21 dias.

Pode ter uma fase mais branda quando o animal apresenta apenas edema (inchaço) nos membros, pode ter uma fase sub clínica onde o animal não vai apresentar sintomas, mas vai ter alterações nos exames de sangue…

E pode apresentar uma fase mais crônica com sintomas mais evidentes.

Agora você pode perguntar: é possível que as duas doenças aconteçam juntas? Sim, é possível.

É possível que aconteça apenas uma das doenças? Sim. Também é possível.

Se o carrapato que picou seu peludinho for portador de apenas uma doença, somente uma será transmitida, mas caso ele seja portador das duas doenças, as duas doenças serão transmitidas.

Quais são os sintomas da doença do carrapato?

Embora haja a possibilidade de existirem duas doenças acontecendo juntas no organismo do seu animal, os sinais clínicos que você deve se atentar são os mesmos.

Fase mais branda: perda de apetite, e possível edema (inchaço) nas patinhas.

Fase mais crônica: anemia, fraqueza, dor abdominal, manchas avermelhadas na pele do animal, febre, dispneia (dificuldade para respirar), a urina pode estar bastante escura, e as mucosas (gengiva, parte interna dos genitais) pode estar amarela ou extremamente pálida (cor de porcelana).

Diagnóstico 

O diagnóstico é feito observando a história do seu animalzinho, por onde ele esteve e se você observou algum carrapato na pele dele.

Pelos sinais clínicos juntamente com as alterações nos exames de sangue, e também por testes sorológicos.

Sendo ELISA e PCR os testes mais usados, mas não se assuste com os nomes. Seu médico veterinário de confiança saberá conduzir os testes perfeitamente.

Tratamento e prognóstico em casos da doença do carrapato

O tratamento vai depender de dois fatores:

  1. O animal apresenta erliquiose e babesiose ou apenas uma delas?
  2. O estágio da doença.

Além do tratamento sintomático, ou seja, remédios que vão ajudar seu amigão a se sentir melhor, também será feito um tratamento específico que geralmente inclui o uso de antibióticos.

Nos casos onde os cães apresentam alterações muito importantes no exame de sangue, principalmente referente a anemia e as plaquetas, pode ser necessário uma transfusão de sangue.

O prognóstico também depende muito destes dois fatores, pois caso o cão esteja apenas contaminado com uma das doenças e esteja em estágios iniciais, as chances de que ele fique ótimo são maiores.

Vale lembrar que toda medicação só deve ser oferecida com ORIENTAÇÃO MÉDICA.

sintomas da doença do carrapato

Existe Prevenção para Doença do Carrapato?

Como sempre: a prevenção é o melhor remédio!

Vimos que a doença do carrapato pode ser grave e causar inclusive a morte em animais muito jovens ou com a imunidade muito baixa…

Logo, como sabemos que você é um pai ou mãe de pet muito consciente e preocupado vai seguir essa lista de prevenção à risca! 😉

  1. Controle de pulgas e carrapatos no animal: Existem diversos produtos que garantem a segurança do seu pet, e você pode escolher o que melhor se adapta ao estilo de vida da sua família: pipetas que são colocadas na pele do animal, coleiras especiais que podem ser usadas por meses ou ainda comprimidos que podem ser administrados de mês em mês ou que duram por alguns meses.
  2. Controle de carrapatos no ambiente: Acredite! Quando você acha um carrapato no seu peludinho, muitos outros podem estar se reproduzindo no ambiente onde seu pet vive! Pois é! A reprodução desses parasitas acontece no ambiente. Por isso, higienize e dedetize muito bem o local onde seu animal vive para que possa eliminar possíveis larvas.
  3. Esteja sempre atento ao seu animal: Sempre olhe os pelos para ver se encontra algo de diferente, e também fique atento a possíveis alterações de comportamento do seu pet.

Conclusão

Como explicamos, a doença do carrapato pode ser bastante grave.

Por isso a prevenção neste caso tem um papel fundamental, e você também tem um papel imprescindível na saúde do seu cão.

Assim que notar a presença de algum carrapato ou notar alguma diferença de comportamento já leve seu pet ao seu médico veterinário de confiança.

Lembre se sempre de levar algumas perguntas respondidas (com sinceridade, hein? 😉), como por exemplo:

  1. Você faz controle de pulgas e carrapatos no seu pet?
  2. Qual o produto que você usa?
  3. Quando foi a última vez que o usou?
  4. Seu pet foi para algum ambiente diferente?
  5. Você notou a presença de algum carrapato no seu pet?
  6. Está fazendo a limpeza do ambiente que ele vive?
  7. Quais produtos você utiliza para fazer essa limpeza?

Um verdadeiro questionário.

Nós sabemos que uma situação com um animal portador da doença não é legal, porém, é muito importante que mantenha a calma e seja sempre muito sincero para facilitar o diagnóstico e o tratamento do seu amigão.

Esperamos ter ajudado e que você esteja bem informado sobre a doença do carrapato.

Atenção, Tutor!

Por mais bem escrita e detalhada que a matéria venha a ser, ela não substitui uma consulta ao seu veterinário de confiança.

E pior ainda, o Amor aos Pets não tem INTENÇÃO ALGUMA de substituir uma consulta médica ou de indicar quais os melhores remédios, pomadas, antibióticos, etc, contra o problema.

Referências externas:

  1. Erliquiose transmitida aos cães pelo carrapato marrom.
  2. Erliquiose x Babesiose canina: relato de caso.
  3. Babesiose canina. Relato de caso.
  4. Babesiose Canina. Revisão.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram