Pancreatite Canina: Causas, Sintomas e Tratamentos

Vamos falar sobre a pancreatite canina?

O pâncreas é um órgão muito importante e desempenha funções essenciais para a manutenção da saúde de todos os animais.

Quando há uma inflamação deste órgão chamamos de pancreatite, uma condição que costuma ser dolorosa e grave.

Vamos explicar direitinho como ela ocorre, os sinais que seu pet pode apresentar e como você pode ajudar nesse processo e também na prevenção desta enfermidade.

Funções do pâncreas

Vamos explicar resumidamente as funções do pâncreas para que você compreenda melhor a importância da pancreatite.

O pâncreas fica localizado no abdômen, próximo ao estômago e ao fígado e possui dois tipos de tecidos:

Um deles tem função exócrina que é responsável pela produção de enzimas que ajudam na digestão e absorção dos alimentos.

O outro tem função endócrina, que é responsável por produzir hormônios como a insulina e o glucagon que são responsáveis por controlar os níveis de glicose no sangue.

pancreatite em cães ten cura?

O que ocorre durante a Pancreatite?

Quando ocorre a pancreatite, o tecido exócrino é afetado, então basicamente as enzimas que ajudam na digestão, que estão armazenadas no órgão, começam a fazer uma autodigestão do pâncreas.

Em outras palavras, começam a destruir o próprio órgão, e conforme a doença vai progredindo, o pâncreas não produz mais insulina, o que leva a diabetes.

Pancreatite aguda e Pancreatite crônica

A pancreatite pode ocorrer de forma aguda, ou seja, com início súbito e quando ocorre de forma leve, pode ser autolimitante (não progride).

Porém, a pancreatite pode ser crônica e essa forma tende a ser progressiva…

A pancreatite crônica pode ser intermitente, o que significa que o animal pode apresentar diferentes episódios durante um período de tempo.

A pancreatite pode levar a insuficiência pancreática, levando a sintomas severos.

Sinais Clínicos da Pancreatite Canina

Quando aguda: o principal sinal é o vômito e a dor abdominal, que pode ser leve ou intensa (o que vai depender do grau da pancreatite), mas pode apresentar diarreia e febre.

Neste ponto, vamos abrir parênteses importante e ajudar você a identificar a dor no seu cãozinho.

Fique atento a estas questões: inquietação, tremores, dificuldade em respirar, dilatação da pupila, e posição de reza (o cão fica com o quadril levantado, enquanto a cabeça fica para baixo e patinhas da frente estendidas).

Quando moderada a grave: o cão vai ficar mais amuadinho, terá falta de apetite, os vômitos podem vir acompanhados de sangue assim como as fezes, pode ter febre e certamente terá dor importante.

pancreatite canina

O que causa a pancreatite canina?

As causas podem ser muito variadas, mas certamente um das causas mais importantes, e que os pais e mães de pet podem controlar, é a alimentação!

Alimentação muito gordurosa de uma única vez, ou ainda uma dieta pouco balanceada e rica em gorduras, pode causar pancreatite.

Outras condições que podem levar a pancreatite são: hipotireoidismo, medicamentos, diabetes, traumas, obesidade e neoplasias.

Os cães da raça schnauzer miniatura podem ter predisposição a pancreatite, logo, uma atenção redobrada a alimentação desses animais é importante.

Diagnóstico

Para que o diagnóstico seja feito, o histórico do animal contando exatamente tudo o que ele come e comeu recentemente é bastante relevante…

Juntamente com o exame físico, exames laboratoriais para avaliar as enzimas pancreáticas e também exames de imagem, em especial a ultrassonografia.

Tratamento

O tratamento consiste em tratar a causa base, e também tratar os sintomas que o animal estiver apresentando.

Geralmente requer internação.

Prevenção da Pancreatite em Cães

Nem sempre será possível prevenir a pancreatite.

Mas a melhor maneira para minimizar as chances do seu animal passar por isso, é cuidar muito bem da alimentação dele.

Sabemos que os cães podem ser bem persuasivos e realmente é muito difícil recusar quando eles pedem um pedaço de queijo, um pedaço de pastel ou um hamburguer de picanha bem suculento…

Mas vale a pena resistir a tentação e oferecer ao seu amigão um pedaço de melão, por exemplo.

Você fica feliz pois deu um petisco para seu peludinho, e ele também fica feliz pois comeu!

Conclusão

Como mostramos a pancreatite pode ser uma doença bastante grave, e na menor suspeita, requer uma visita imediata ao médico veterinário de sua confiança.

Não hesite em levar seu amigão para ser avaliado, e sempre fique muito atento ao comportamento do seu pet para que possa identificar facilmente qualquer alteração.

Respire fundo, e leve essas perguntinhas respondidas com toda sinceridade para o médico veterinário:

  1. Quais sintomas seu pet está apresentando? Vômitos? Diarréia? Dor?
  2. Há quanto tempo seu pet está apresentando estes sintomas?
  3. Qual a alimentação do seu pet?
  4. A alimentação foi modificada recentemente?
  5. Seu pet comeu algo diferente e gorduroso recentemente?

Ficando atento aos sinais e levando seu pet ao médico veterinário a situação pode se resolver mais facilmente.

Esperamos que tenha obtido as informações que procurava sobre a pancreatite canina.

Atenção, Tutor!

Por mais bem escrita e detalhada que a matéria venha a ser, ela não substitui uma consulta ao seu veterinário de confiança.

E pior ainda, o Amor aos Pets não tem INTENÇÃO ALGUMA de substituir uma consulta médica ou de indicar quais os melhores remédios, pomadas, antibióticos, etc, contra o problema.

Referências externas:

  1. Pancreatite em cães.
  2. Patologias pancreáticas em cães. Revisão de Literatura.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram